foi adicionado com sucesso ao seu carrinho.

O dinheiro, o movimento espírita e o igregismo espírita

Publicado por 13 de março de 2015 Dúvida do internauta, Opinião 56 Comentários

Quero fazer uma abordagem aqui neste artigo e depois que você o ler totalmente, até o final, quero que faça uma reflexão com sinceridade.

Você conhece realmente a obra de Kardec? No Brasil, se faz realmente o Espiritismo como Kardec pretendia? Como lidar com o dinheiro e ao mesmo tempo ser fiel aos princípios do codificador?
E a grande pergunta final: porque o espiritismo não deu certo na Europa e caminha a passos lentos no resto do mundo?

Topa fazer uma análise comigo? Será que você tem coragem de mergulhar um pouco na história do espiritismo? Vamos lá!

Ao estudarmos as obras de Allan Kardec, notamos o quanto ele fez muito bem o seu papel de codificador e além de tudo, de divulgador da causa e da doutrina Espírita. Isto se pode chegar a claras conclusões após a leitura de a “Revista Espírita” de Alan Kardec, o livro “Viagens Espíritas” e o livro Obras Póstumas, estes quase desconhecidos do movimento espírita e dos pseudos-sábios e espiritualizados.

O Codificador elaborou uma revista mensal com textos muito bem escritos, e com uma linguagem clara e acessível, tanto quanto com qualidade impecável para a sua época. Nesta revista ele relatava suas experiências como divulgador e propagador das ideias espíritas, da doutrina em si e dava respostas os seus críticos, e o que muita gente não sabe, ele não media palavras para responder a pessoas levianas, e mal intencionados que o afrontavam acusando-o de diversas coisas, inclusive de viver com dinheiro da doutrina espírita.

Por muitos anos a Revista Espírita cresceu, se propagou e se transformou num meio de comunicação entre o Codificador e os diversos núcleos Espíritas que se iam formando na França e fora dela. Foi um sucesso tal que chegou mesmo a ter assinantes em outros países do mundo, o que denotava a capacidade de Kardec de elaborar bem as questões apresentadas, de sua competência na divulgação e defesa dos postulados espíritas, embora os obstáculos que ele enfrentava em sua época, de transporte e entrega da “Revista Espírita” a quem as assinava. E teve uma tal repercussão que o próprio Kardec teve a iniciativa de ele próprio sair vendendo a Revista Espírita por onde ele andava divulgando a Doutrina e fazia exposições ou palestras, além de vender os livros espíritas.

(Ele os vendia e não dava de graça). Inclusive chegou a defender a ideia de que os livros espíritas não deveriam ser vendidos mais baratos que os demais. Sim, leia a “Revista Espírita” e “Viagens Espíritas”. Kardec próprio fala disso nos livros acima citados. Quando viajava para divulgação, Kardec inclusive descobriu que podia encomendar retratos de si e vende-los para manter a obra e assim o fez, várias vezes, para arrecadar dinheiro para as viagens de divulgação e para a própria manutenção, inclusive vendendo o Livro dos Espiritos e mantendo-se com o dinheiro do mesmo. Embora isso os espíritas em geral, desconheçam ou não queriam ler.

Ao estudarmos o livro de Kardec intitulado “Viagens Espíritas, ficamos sabendo dos detalhes e dos resultados do que Kardec fazia. Caso você não tenha este livro, adquira-o imediatamente e leia o seu conteúdo. Pois é o que vamos analisar aqui neste artigo.

A pergunta que se impõe é a seguinte: Se fôssemos fazer um cálculo matemático, uma projeção lógica, qual seria a consequência mais razoável do resultado de uma divulgação da forma como Kardec fazia?

A resposta é lógica e inequívoca: a doutrina Espírita alcançaria resultados mundiais, ou seja, se alastraria pelos países do mundo de maneira atingir os objetivos do Espírito Verdade que seria levar aos quatro cantos da Terra a palavra dos imortais. Como ocorria naqueles primeiros momentos na França, ela poderia ter se espalhado em diversos outros países do mundo e logo veríamos a terra toda se encher das verdades espíritas.

Mas isso nunca aconteceu! Pelo menos até agora.

Mas porque nunca ocorreu isso? Diante de ideias tão claras, de uma doutrina tão maravilhosa e de argumentos tão lógicos como os empregados por Kardec porque o espiritismo minguou e foi cada vez mais ficando difícil sua divulgação?

Caso tivesse se alastrado, como previra e queria o Codificador, a Doutrina Espírita teria mudado radicalmente a história da humanidade.

Mas isso realmente não ocorreu, nada disso se realizou. E porquê? Será que você conhece a realidade da história do Espiritismo?

Porque diante de um avanço tão marcante, da receptividade tão espontânea da população perante a mensagem Espírita, pelo menos enquanto Kardec estava encarnado, de repente a mensagem Espírita murchou da forma como ocorreu assim que Kardec desencarnou? Porque o retrocesso na divulgação do Espiritismo, e no alcance da sua mensagem consoladora?

Minha pergunta a quem quer que seja, é: você conhece a resposta desse retrocesso ao avanço do Espiritismo no mundo?

Será que após contextualizar a história do espiritismo, você seria capaz de entender, de responder o porque o Espiritismo não deu certo na Europa e em outros continentes?

A resposta é: a palhaçada promovida por muitos espíritas não é coisa que venha de hoje minha gente. É algo antigo, desde a época de Allan Kardec.

A atitude dos Espíritas perante a divulgação da Doutrina que dizem abraçar e defender, foi a maior causa do obstáculo que Allan Kardece enfrentou e se enfrenta até os dias de hoje. Kardec foi o primeiro alvo da maldade de diversos Espíritas; ele foi a primeira vítima e o Espiritismo, como Doutrina, a segunda vítima.

Allan Kardec fazia viagens Espíritas pela Europa (vide o livro Viagens Espíritas) custeadas todas com o dinheiro do próprio bolso, quando ele vendia livros impressos às suas custas, ele mesmo fazia as palestras e, nas suas viagens, a divulgação fazia um enorme sucesso.

Em todos os lugares por onde ele andava, para onde ele viajava, a doutrina crescia, avançava, e era conhecida pelo seu ardor, pela forma brilhante como ele expunha a mensagem espírita, pela convicção com que ele divulgava e falava da doutrina dos Imortais.

Na primeira viagem eram 30 pessoas assistindo; quando ele retornava ano seguinte, eram muito mais de 200 pessoas e isso crescia substancialmente a cada vez que ele viajava para divulgar a doutrina. Impressionante os resultados obtidos por Kardec.

E novamente uma pergunta: sera que o codificador agradava aos espíritas parisienses de sua época? Com tamanho dinamismo, será que ele agradou os seguidores da doutrina dentro da França?

E sabem qual é a resposta? É claro que não! Ele desagradou e muito aos espíritas de sua época e da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, principalmente, Instituição fundada por ele próprio.

O resultado do trabalho de Kardec inspirou muita raiva por parte dos espíritas de Paris, vários comentários levianos, pretenso excesso de religiosismo e o desconhecimento total dos projetos dos Espíritos, fizeram com que os espíritas daquela época metessem a língua em Kardec acusando-o de todas as maneiras possíveis; a maledicência rolou solta contra o codificador contra o qual os próprios espíritas falavam e divulgavam que Kardec estava ficando rico à custa da doutrina; que ganhava dinheiro com a venda dos livros e ainda nos dias de hoje, este DNA da acusação e do desconhecimento da proposta dos Espíritos faz com que sobreviva em muita gente, inclusive gente boa e em muitos seguidores da doutrina a mesma situação da época de Kardec. Ou seja, a maledicência e as acusações sérias, de conteúdo complexo, sobre quem faz o trabalho de divulgação ou mesmo sobre qualquer pessoa que esteja fazendo sucesso em sua obra ou trabalho espiritual.

Enfim, nos dias atuais a situação é a mesma entre muitos que dizem defender a pureza doutrinária, que continuam no mesmo comportamento dos espíritas da época de Kardec. Este comportamento começou em Paris nos dias do Codificador, a reação dos espíritas se incomodarem com pessoas que fazem sucesso na divulgação das ideias espíritas, mas não é somente isso. Vejamos a seguir.

Será que a sociedade francesa e parisiense daquela época não estavam de olho no comportamento dos espíritas? Na conivência dos espíritas com o Codificador e com eles próprios para ver se valeria a pena aceitarem a doutrina que diziam os espíritas, veio para renovar o mundo? Será que os franceses e o restante da Europa não ficavam de olho para verem se o comportamento dos espíritas era reflexo da mensagem que divulgavam? Que suas atitudes eram realmente condizentes com os ensinamentos que o Codificador espalhava pela Europa?

Ou seja, a prática do espiritismo entre eles próprios, os espíritas, que pregavam a teoria espírita, era condizente com a amabilidade da doutrina pregada por Kardec? Que tais atitudes dos espíritas perante o Codificador, refletiam a fraternidade, a tolerância, a humildade, a compreensão e indulgencia tanto falada no Evangelho pregado pelos espíritas da época eram realmente vivenciados por eles? Enfim, será que os espíritas praticavam a doutrina que diziam abraçar?

Bem, acredito sinceramente que neste ponto das reflexões já deu para você leitor, ter uma reposta por si mesmo sobre o porque o espiritismo não deu certo na Europa. Os espíritas foram os maiores inimigos da doutrina que julgavam defender. O religiosismo exacerbado herdado do sistema judaico católico, transferiu-se junto com os espíritos reencarnados, para dentro do próprio movimento.

Diante das injúrias, dos ataques dos espíritas ao próprio Codificador, e de tudo o mais que falavam contra ele, Kardec escreveu em “A revista Espírita”, a qual está editada por diversas editoras espíritas no Brasil e infelizmente quase nenhum espírita ou defensor da pureza doutrinária sabe o conteúdo. Mas faço aqui a transcrição exata das palavras do Codificador diante da situação enfrentada por ele no movimento espírita da sua época, ou diante das acusações feitas a ele:

Revista Espírita, de Allan Kardec, traduzida pelo Dr. Julio Abreu Filho e publicada pela Livraria Allan Kardec Editora (LAKE), de São Paulo. O volume de 1862 ele escreve:

“Não tenho que dar satisfação de meus negócios a ninguém”.

Em todo caso, e para que não se ficasse pensando que ele realmente ganhara dinheiro com os seus trabalhos, Kardec esclareceu:

“Entretanto, para contentar um pouco os curiosos, que se deveriam se meter apenas com o que é da sua conta, direi que, se tivesse vendido meus manuscritos, apenas teria usado do direito que todo trabalhador tem de vender o produto de seu trabalho…”

E vejam que ele, Kardec, não respondia com palavras suaves e nem passava a mão na cabeça de ninguém.

Dinheiro e a postura de Kardec

Ainda na“Revista Espírita”, vol. De 1862, pág. 179, mais um trecho interessante e judicioso onde Kardec se expressa quase desabafando, ante as acusações dos espíritas. Disse Allan Kardec:

“Quanto ao lucro, que me pode vir da venda de minhas obras, não tenho que dar conta de seu montante, nem do emprego que lhe faço.”

E você sabe que Allan Kardec nunca teve nenhum constrangimento em cobrar para os médiuns participarem da sociedade parisiense de estudos Espíritas? Sim! Isso mesmo. Ele tinha despesas, inclusive com o aluguel do imóvel onde funcionava a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas e cobrava para os médiuns participarem das seções, dos estudos ali realizados. Não era de graça. Então dá para se ter uma ideia do porque o espiritismo não vingou naquela época. Os espíritas foram o maior empecilho para a divulgação das ideias espíritas.

Agora, dando um salto no tempo, aos dias atuais, a pergunta é a mesma daquela época de Kardec, embora a resposta tenha se ampliado ainda mais:

Porque cobrar? E, como fazer divulgação espírita nos dias atuais sem dinheiro?

Bem, não sei quanto aos diletos “irmãos” que trabalham na divulgação da doutrina Espírita, mas quanto a nós do Instituto Robson Pinheiro, e da Casa dos Espíritos, darei a resposta conforme a realidade nossa atual:

Temos nossas obras sociais nas quais atendemos mais de 2000 pessoas gratuitamente e semanalmente, na sociedade Espírita Everilda Batista.

Contudo, descobrimos depois de mais de 22 anos de atividades ininterruptas, que dinheiro para manter estas obras, não caem do céu e nem se materializam em reuniões mediúnicas, como também não se materializavam na época de Kardec.

Mantemos uma escola de Espiritismo onde os cursos presenciais são totalmente gratuitos o ano todo, com mais de 300 alunos estudando, sem pagar nada pelas aulas, cursos e tratamentos a que se submetem.

Mas alguém tem de pagar as contas de manutenção, de água, luz, telefone, funcionários – isso mesmo, funcionários e não voluntários espíritas espiritualizados e santificados.

Uma editora que para sobreviver tem de enfrentar os mesmos dilemas de qualquer outra empresa no mundo, inclusive a inflação que, se você não sabia, não foi inventada por nós da Casa dos Espíritos – sabiam disso? Que não somos nós que colocamos preço no papel para imprimir os livros e nem colocamos preço na mão de obra cobrada pelas gráficas? E nem somos nós que estimulamos a inflação? Pois é, disso ninguém pode nos acusar.

Temos mais de 12 funcionários trabalhando na editora diretamente e mais outros indiretamente, além de contratarmos uma empresa que presta serviços para a divulgação, fazendo os as capas dos livros, a diagramação, a correção gramatical a qual é feita por uma profissional que trabalha de maneira remunerada para a editora e que também pagamos impostos e transporte para os livros, além de um monte de outros tributos que não fomos nós que inventamos e nem criamos; mas como toda empresa está sujeita a eles e a Casa dos Espíritos não é diferente e nem nenhuma empresa que faz a divulgação da mensagem espírita está isenta desses gastos.

E quanto à internet? As transmissões de programas, cursos e outras coisas do gênero? Acham que é de graça?

Talvez alguns não tenham notado nos eventos que promovemos o tanto de problemas que tivemos na transmissão de mensagens, palestras e lançamento de livros. Mas… bem, aqui vai algumas coisas necessárias para que possamos manter as transmissões via internet em dia:

Compra de Softwares, necessários para manter uma boa transmissão e qualidade da mesma. E olhem que ainda estamos longe disso, dessa qualidade toda… Licenciamento de softwares, isso mesmo, não pirateamos softwares, nós compramos licenças de uso e pagamos caro por isso.

Exclusivamente para mantermos as transmissões, gravarmos, fazer edição dos videos, atualmente, por não termos condições financeiras para algo mais arrojado, temos apenas 3 profissionais, com um valor de folha de pagamento aproximado de 15 mil reais, o mínimo necessário para levar ao ar estas imagens, cursos, estudos e tudo o mais que estamos providenciando para o público. E são profissionais de imagem e edição, pessoas que não dedicam e nem podem dedicar de graça o seu tempo, pois o trabalham quase 24 horas e precisam comer, pagar suas contas e pagar outros cursos que fazem para se capacitarem a realizar o trabalho minimamente aceitável e com qualidade.

E estúdio, ah! Isso é complexo. Mutas vezes tivemos de improvisar nos fundos de minha casa para as gravações, mas o improviso mostrou-se complicado na hora da edição dos videos e do som, então, partimos para o aluguel do estúdio e agora, investindo na possibilidade de construir um estúdio próprio na Clínica Holística Joseph Gleber, para transmitir os programas que estamos elaborando e os demais cursos, gratuito e pagos, para quem quiser. E olhe que após conseguirmos o projeto arquitetônico e o trabalho do engenheiro gratuito, ainda assim, as despesas somam até agora o valor aproximado de 80 mil reais, e isto sem os equipamentos finais do estúdio. Somente a construção em si. Inflação? Nada disso! Bem vindo ao planeta terra, ao mundo dos escarnados…

Compra de equipamentos é outro fator que merece ser relatado a vocês. Não há como gravar, fazer edição de imagem e som, sem iluminação apropriada, sem computadores preparados exclusivamente para isso, com seus programas, softwares e muito mais, inclusive cursos que nos ensinem a fazer tudo isso e que propiciem aos profissionais envolvidos – profissionais e não voluntários -, recursos pára trabalharem com esses equipamentos.

Atualmente adquirimos equipamentos apenas para o início das atividades na internet, como monitores, computadores, pagamento de servidores para aguentar a demanda de pessoas acessando tudo (Amazon e outros servidores) e o que direi mais?

Bem, e se algo render todo este trabalho, pretendemos investir no término da construção da Clínica Holística Joseph Gleber e na Aruanda de Pai João, instituições que realizam “de graça” atendimentos na área social, mediúnica, de saúde entre outras atividades, as quais estão localizadas juntamente com a Sociedade Espírita Everilda Batista, respectivamente, nas cidades de Sabará e Contagem, em Minas Gerais.

E com tudo isso, aí sim, após estes investimentos todos que fazemos em geral com curso pagos, podemos manter gratuitos, os cursos presenciais os quais exigem algum investimento em material, capacitação dos nossos professores.

Ou seja, os mesmos cursos presenciais que se podem fazer gratuitamente, só são possíveis graças aos cursos que ministramos, pagos. Mas caso as pessoas não queiram pagar, poderão se matricular nos presenciais que são de graça, diretamente na Casa de Everilda Batista, mas sabendo o seguinte: aquilo que para alguns é de graça, tem alguém que arca com as despesas. Isso posto, esclarecemos: “dai de graça o que de graça recebestes”, não se aplica ao nosso caso e a nenhuma outra instituição, empresa ou trabalho via internet ou presencial. Pelo menos para nós, o de graça nunca ocorreu. Sempre tivemos de pagar as despesas pela construcão e manutenção de nossas obras sociais.

Porque cobrar?

 Primeira questão: manutenção de tudo isso de que falei anteriormente. Depois, como consequencia, a cobrança de cursos, tanto quanto a gratuidade de outros, faz com que ocorra a natural seleção entre os realmente necessitados, os fofoqueiros, os caluniadores, e os formadores de opinião. Isto é algo natural do processo seletivo.

Depois, o fato de cobrar pelos cursos, além de podermos manter a divulgação e investirmos na qualidade e manutenção dos mesmos, forma a cultura de investir na cultura, seja espiritual ou de forma geral. Sem cobrar seria imposível o Robson Pinheiro e qualquer outro divulgador da mensagem espírita, manter todas estas obras de graça para quem realmente necessita.

Ainda assim, caso sobre dinheiro, o que até agora não vimos ocorrer, – ao contrário -, podemos investir na divulgação espírita em outros países.

Sabiam que quando viajamos para outros países, os centros espíritas que nos convidam nunca pagaram passagens, hospedagem, nem alimentação?

E que nunca conseguimos contar sequer com ajuda de custos das viagens?

E que pagamos alto preço por excesso de bagagens, ao levarmos livros, o medicamento água viva para distribuir gratuitamente nos centros da Europa e em outros continentes?

Para se ter uma idéia, na última viagem que fizemos pagamos mais de 2000 dólares de excesso de peso por levarmos os livros espíritas, os quais foram vendidos com desconto, embora o prejuízo, e amargamos um sério prejuízo; Sabiam também que as pessoas que viajam comigo pagam do próprio bolso as passagens, hospedagens e alimentação? Sabia disso? Que nenhum centro espírita paga estas despesas para os oradores? Mesmo porque são caríssimas e os investidores das companhias aéreas não são espíritas e nem caridosos a ponto de isentar-nos das taxas, das passagens e nem da hospedagem?

Pois bem amigos, pensem um pouco nisso e façam as contas com suas calculadoras… de preferência antes de xingarem, brigarem ou tentarem difamar qualquer orador espírita que faz uma tarefa de divulgação. Lembremo-nos de Kardec em sua época e entenderemos porque o codificador morreu angustiado com os espíritas e com a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas que diziam que ele estava enriquecendo com o dinheiro da venda dos livros espíritas.

Outra questão que se impõe e eu a descobri com a experiência em meu trabalho professional. Quando eu atendia como terapeuta holístico, em geral eu tirava um dia na semana para atender de graça as pessoas que não podiam pagar, ou diziam não poder. Nenhuma delas, absolutamente nenhuma, chegou a termo, ou levou o tratamento a sério. Nenhuma mesmo. Todas abandonaram o tratamento, exatamente porque não investiram um centavo nele.

E foi aí que descobri que temos três públicos. O primeiro que realmente não pode pagar, mas falta vontade de melhorar e em geral é o mais exigente de todos. O segundo, os que dizem não poder pagar tratamento, cursos, especialização e cobram de tudo e todos, do governo, das pessoas dos médiuns, que tudo seja gratuito – os vampiros energéticos que vivem como sanguessugas espirituais. Estes não podem pagar cursos, nem tratamento e nem nada, a não ser as cervejas, a tv por assinatura, a televisão de última geração, a manutenção do carro, o apartamento, algumas festinhas, mas investir em si mesmo, nada. E disso eu falo em meu curso de autodefesa.

E finalmente os formadores de opinião, os livre pensadores. Estes sabem o que querem, investem no auto conhecimento e incentivam outros a formarem opinião e se auto transformarem. Para os dois primeiros, temos as atividades gratuitas da Casa Espírita -, digo gratuitas para eles, pois nós pagamos as despesas. Hoje, para nossa casa abrir, somente a Casa de Everilda Batista, sem contar as outras instituições, temos um gasto fixo de 7.000,00 sete mil reais mensais. Isto para as pessoas receberem de graça os passes, as orientações mediúnicas, o magnetismo, a bioenergia, as psicografias de cartas consoladoras as cirurgias espirituais, estas sim, dependentes dos espíritos e por isso de graça. Inclusive, de graça, os cursos ministrads pela UniSpiritus, Universidade do Espírito de Minas Gerais, absolutamente gratuitos. Ufa! Falei demais… mas ainda não acabou.

Bem, e é bom entender que na internet, nós não estamos fundando um centro espírita virtual. Isto aqui não é casa Espírita, portanto, a parte que podemos disponibiizar de graça, como os módulos do curso de auto defesa e outros tantos que já tenho na manga para compartilhar gratuitamente, inclusive livros digitais, precisam ser sustentados, ter suas despesas pagas e mantidas por alguém, isto sem falar no trabalho de divulgação espírita dentro e fora do Brasil.

Portanto, aqui nunca pretendi fazer um Centro Espírita On Line, e portanto, não se aplica a nós os argumentos tão caridosos e sensíveis dos espíritas que herdaram o DNA diretamente da França do século XIX, da época de Kardec.

Nossa proposta não é sustentar a ignorância humana, mas formar livres pensadores e para isto, precisamos investir e ensinar a cultura de investir na cultura.

Embora tenhamos em mente e estejamos em andamento com os projetos de palestras gratuitas, como já temos em nosso site, em mantermos uma rede de pessoas bem informadas e com estudos perfeitamente acessíveis ao público,  também de graça, mas enfim, se tudo for de graça, já estaríamos falidos, pois nossas despesas já neste mês ultrapassam em muito o meu salário de profissional da area de terapias holísticas. Quero deixar bem claro que a internet não é Centro Espírita e os provedores, os profissionais que trabalham com imagem, som, enventos interativos, transmissão, manutenção, computadores, edição, e estudio, não são médiuns espíritas, nem religiosos e graças a Deus, a maioria absurda não são espíritas, porque se fosse, com certeza estaríamos transmitindo ainda com sinais de fumaça ou por fax, quando muito.

E finalmente, decodificando o perfil psicológico de quem quer tudo de graça, em geral são pessoas insatisfeitas com suas vidas, com o sistema, com a religião, com os mediuns, com Deus, com o universo. Em geral, mas nem sempre, são pessoas que não fazem nada de ostensivo e significativo para a formação de livres pensadores ou para a humanidade, que não construíram uma obra social e nem a mantêm, que nunca entraram em contato com outras culturas e experimentaram os desafios de se manterem e manter a divulgação das ideias espirituais com os recursos próprios.

Enfim, em geral, mas nem sempre, felizmente, são vampiros energéticos que querem tudo de graça, mas não exitam em comprar carros caros, televisões, diversões, cervejas, lazer e outras coisas. São vampiros exigentes. Exigem sempre, mas nunca dão nada para a humanidade. Porque isto custa. Doar custa caro e o de graça em geral, é muito caro para quem o faz.

E aí, para finalizar, dá para ter uma ideia do porque o Espiritismo não vingou na Europa na época de Kardec, embora na Europa, atualmente, se veja o trabalho de verdadeiros missionários para divulgar o pensamento espírita, viajando e enfrentando dificuldades mil, para sustentar a tarefa. Embora eu não seja missionário, quero lançar um desafio aqui: tentem, os detratores e caluniadores de plantão, sustentartem uma obra por mais de 20 anos, atendendo gratuitamente pelo menos 2 mil pessoas semanais; minstrando cursos presenciais semanais, durante o ano inteiro, sem cobrar nada em troca; manter atendimento a crianças carentes e famílias marginalizadas; manter a divulgação de livros com a manutenção dessa divulgação num país em que se paga cada dia mais tributos e cuja inflação e preço final do produto não depende de você, mas dentre outros fatores, do controle ou descontrole do governo. Tente fazer isso por pelo menos 20 anos ininterruptos e você terá uma pálida visão do que enfrentou Kardec nos dias dele e que enfrentamos nos dias nossos. E depois de ver, viver e vivenciar tudo isso, parafraseando Jesus e o apóstolo Thiago: “atire a primeira pedra quem estiver sem pecado”.  E “Mostra-me a sua fé sem as obras e lhe mostrarei a minha fé pelas minhas obras”.

Robson Pinheiro

56 Comentários

  • ANGELA MARIA VARNER DA SILVA disse:

    OLÁ,ROBSON PINHEIRO,CONCORDO COM VOCÊ,AS VEZES ME PERGUNTO,OBSERVO,PORQUE PARA DIVERSÃO MUITOS SE UNEM E APARACE A FAMOSA VAQUINHA E BROTA DINHEIRO DE TODOS OS LUGARES,MAS QUANDO SE TRATA DE CRESCIMENTO,CONHECIMENTO,APARECE AS CRÍTICAS,FEROZES,MALDOSAS. VEJO HOJE A INVERSÃO DE VALORES,NÃO GENERALIZANDO CLARO.AGRADEÇO A VOCÊ E TODO TUA EQUIPE DE AMIGOS ESPIRITUAIS,O QUE TENHO RECEBIDO,QUE O CONHECIMENTO E O APRENDIZADO,NINGUÉM ME TIRA .OBRIGADA QUE DEUS TE ILUMINE HOJE E SEMPRE.

  • Lucimar Sousa disse:

    Fato.cadê todo mundo(linguarudos)quando a gente precisa deles???
    Dinheiro p/comprar o supérfluo tds tem ou senão tem fazem até empréstimos,, sgora fala que e p/ ajudar..ninguém tem tempo nem dinheiro,ai começam as lamentações.
    Cobra mesmo,pq td na vida tem um preço…. E quem disse que p/ aprender e evoluir não teria????
    Eu adoro vcs,(vc ,sua equipe,seus mentores,e etc)e que muitos acham ser grossura,eu simplesmente chamo de ser,Transparente,Realista,Ter Personalidade,estamos no sec.21.

  • Milifolio disse:

    Creio tentar simplificar as coisas sem ofender a ninguem da seguinte maneira. Existem pessoas que estao reclamando, e estas nao entendem que existem pessoas bem distantes espalhadas pelo mundo que gostam de aprender sobre os topicos que RP esta ensinando. Para poder ensinar a longa distancia existem custos. Para poder ensinar para um maior numero de pessoas hoje em dia, a internet e o meio escolido, inclusive por inumeras universidades na Europa e EUA. Logo e normal ter varios gastos. O dinheiro pode ser visto como energia que tem de ser movimentada nao estagnada para que todos possam crescer e desenvolver suas abilidades. Esse dinheiro gera empregos e conhecimentos para tantos. Logo essa energia esta sendo muito bem utilizado. Forca e tudo de bom para voces.

  • Rogério Souza disse:

    Em primeiro lugar quero lhe agradecer pelo seu trabalho. Muito obrigado! Por tanto conhecimento e contribuição para o nosso crescimento e desenvolvimento espiritual.
    Em segundo lugar, deve-se cobrar sim! Pois, há despesas com produtos e serviços adquiridos para a manutenção e continuidade do trabalho.

    Um forte abraço!

  • BRIZA GREFF disse:

    Querido Robson

    Seria bom todas as pessoas que se dizem espíritas pudessem ler seu artigo tão esclarecedor. Sei que é com muita luta e dedicação que você e toda a sua equipe mantém o assistencialismo ao próximo e divulga os ideais espíritas.
    Agradeço de coração a você e seus guias espirituais por iluminarem meus passos nessa encarnação e ajudar me tornar uma pensadora, ou seja, formadora de opinião!!! luzzzzzzzzzzzz

    Briza

  • Marileusa Lima Smalarz disse:

    Caro Irmão Robson:
    Fiquei muito atenta na leitura do seu ” texto desabafo” ,para ler nas entrelinhas toda a extensão das verdades alí expostas.E vejo sim, através dos milênios,e ainda agora mais exacerbada,a ação dos nossos infelizes irmãos desencarnados que lutam desesperadamente contra a Luz!
    São falanges trevosas combatendo o Bem,disseminando a incompreensão,a discórdia e as dúvidas relativas aos trabalhos elucidativos,tão importantes para os Planos Divinos neste Tempo de Transição.
    Siga o seu Caminho Luminoso,caro Irmão! Deixe os cães ladrarem,enquanto sua Caravana Bendita avança,espalhando poderosos raios brilhantes de Paz,Harmonia,Amor e Conhecimentos Sublimes!
    Que Deus o abençoe sempre e muito!

  • DANIEL REZENDE disse:

    POBRE DAQUELES QUE AINDA GOSTARIAM DE VER JESUS ANDANDO DE JEGUE, EU PARTICULARMENTE
    GOSTARIA QUE ELE ANDASSE DE FERRARI ULTIMO MODELO E JATINHO PARTICULAR.
    E EM RELAÇÃO A VOÇES GOSTARIA QUE GANHASSEM MILHOES, POIS TENHO CERTEZA QUE SERIA TUDO MUITO BEM APLICADO NO CRESCIMENTO DA OBRA E NA DIVULGAÇÃO. CHEGA DE HIPOCRISIA
    VAMOS FAZER E ACONTECER PARA ESTE NOSSO PLANETA MELHORAR DE VEZ.

  • Enio Moura disse:

    Concordei com tudo, depois de ler! Simples assim!
    E quero sim, quanto antes, participar dos cursos…
    E obrigado por expor o assunto, pois mudou minha maneira de ver e então, de pesar o porque de cobrar alguns dos cursos.

    Grato;
    Enio

  • Iarí de Araujo disse:

    Meu irmão, esses “espiriteiros” de plantão são os mesmos que por várias encarnações vem atrapalhando o trabalho do Mestre dois Mestres JESUS, o CRISTO DE DEUS. Venho acompanhando o seu trabalho, tanto através de seus livros mediúnicos, quanto pela Internet e, tenho aprendido muito. Continue com o seu grandioso trabalho, pois os “cães ladrão e a caravana passa”.

    Salve o Cristo interno que habita em cada um de nós.

  • Hélio Fontes disse:

    Prezado e abnegado Robson Pinheiro,
    Não bastasse sua trajetória para a incursão na missão espiritualista, na minha visão isso por si só já seria o suficiente para a compreensão dos questionadores. De todo modo, o próprio Mestre Jesus (não me recordo exatamente da passagem bíblica, desculpem), já nos esclareceu quando ensinou sobre nossa experiência neste mundo: “… a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”..” No meu entendimento significa dizer que temos que saber estabelecer os valores necessários para a vida material mas, sobretudo, priorizarmos em nossa construção íntima os valores Divinos que nos conduzirão para o crescimento previsto por nosso Mestre e Criador, indistintamente, para nossa felicidade.
    Bem, isso posto, aproveito a oportunidade para parabenizá-lo e agradecê-lo pela aceitação da missão que lhe está sendo confiada, assim como e em especial a todos os espíritos prepostos, predispostos e aos mentores espirituais a serviço do supremo Governante do planeta Terra, Jesus, na condução da universalização das verdades Divinas.

    Abraços

    Hélio Ricardo Fontes

  • Allan disse:

    Olá Robson.

    Primeiramente te parabenizar pelos dois livros que eu já pude conhecer(Nephilins e Crepúsculo dos Deuses), muito esclarecedor.

    Infelizmente meu caro, como o Sr sabe vivemos numa era totalmente voltada para o materialismo, sendo assim, a desordem e os “mals costumes” prevalecem e iram prevalecer por um bom tempo.

    Continue com seu trabalho porque ele é uma luz acessa na escuridão.

    Grande abs de um amigo da eternidade.

  • Bárbara Wanderley disse:

    Essa retrospectiva que você, meu querido amigo, Robson, fez, é uma amostra do que o nosso Codificador enfrentou na época.
    E verdade, as pessoas que frequentam, não todos, desconhecem ou não pensam, relevam, que uma Instituição espirita, voltada para dar cunho social, assume muitos compromissos é preciso que tenhamos consciência em cooperar para a obra da assistencia, divulgação da Doutrina Espírita.
    Foi muito boa essa sua exposição… Eu tenho plena ideia dos custos para manter uma Instituição. Sempre estou apostos. E a consciência espiritual no mundo materlal. E as pessoas que são beneficiadas deverima ver a necessidade em cooperar. Lá, onde freuquento, nada se pede, mas, tem aluguel, luz, água, faxineira,etc. Nos, trabalhadores e demais pessoas como apoio, damos as mãos e vestimos a mesma camisa.´
    É bom esclarecer e abrir as mentes, uma vezp que, o dinheiro é necessário e faz parte dentro da Lei do Progresso, para ajudar, socorrer os irmãos e divulgar – E a missão do homem inteligente na sua peregrinação neste Orbe…
    Gostaria de ser mais rápida em ler os seus livros que nos trazem tantos ensinamentos. Sou profundamente grata a Espiritualidade por nos instruir e, nos, interessarmo-nos ….

  • Reinaldo M Brito disse:

    Bom dia. Realmente acho muita coisa defasada no espiritismo e uma delas é o fato de não se usar a TCI hoje em dia para as comunicações… Bom, certamente que acho que se deva cobrar sim, pois como alguém já fez um comentário bem pertinente: “Dai a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus”. Tudo o que for agregado deve ser cobrado pois tem muito mais valor. Por exemplo, logicamente acho que não se deva cobrar o fato de uma pessoa usar a mediunidade ou ser usada por ela, pois somos meros transmissores/receptores do trabalho do mundo de outras dimensões, mas todo fruto deste trabalho, como confecção de livros, palestras, viagens, estadias e tantas outras coisas deve sim ser cobrado. Conte comigo meu amigo Robson, respeito e admiro seu trabalho e suas qualidades nas comunicações. Desde que assisti a sua palestra no Fórum Ufológico em Foz do Iguaçu posso dizer que passei a respeitar como um dos maiores médiuns que já conheci. Grande abraço. SOL777

  • Eloisa Santana disse:

    Olá Robson e equipe.
    Imagino o quanto Kardec sofreu para divulgar a doutrina espirita no meio de tantas controvérsias, ainda hoje quem busca esclarecer está passando por tudo isso, imagina ele naquela época. Infelizmente a ignorância ainda é tão grande que ninguém raciocina, pois o egoísmo ainda impera praticamente na humanidade toda.
    Tenho certeza que vocês conseguirão levar adiante esse trabalho maravilhoso que é esclarecer aqueles que tem ouvidos para ouvir , olhos para enxergar e alma para sentir. O trabalho de vocês é muito importante para a humanidade, não dê ouvidos às falácias, pois aqueles que querem sair da escuridão da ignorância, estão ajudando nem que seja apenas com boas vibrações para que a ajuda financeira também chegue.

  • benepaello disse:

    Melhor não poderia ser sua esplanação ,sobre temas que geralmente são de calunia e desaforos quando se pratica e divulga algo superior, estimulando ao aprendizado , pois as pessoas que assim fazem não desejam sairem do charco imundo da ignorancia.
    .DEUS te abençoe sempre com saude e harmonia interior para nos brindar com seus livros agradecida pelos espirito que através de vc nos traz o conforto do conhecimento. abraço fraterno

  • Regiza Bittencourt disse:

    Querido Robson voce disse com classe e categoria tudo que sempre tive vontade de dizer, sobre o que vejo hoje no Movimento Espirita, infantilidades que nem valem a pena serem rememoradas, e disse coisas que nem sonhava da Jornada de Kardec. Voce e realmente dos meus, beijos e muito sucesso na sua jornada aqui na terra, e para os invejosos de plantao, beijinho no ombro.

  • Olá Robson !

    Acompanhamos por bastante tempo seu trabalho, especialmente com os livros…. Achamos justa e corajosa sua iniciativa de “justificar” aos recalcados e espezinhadores de plantão onde direcionam os recursos obtidos pelo trabalho que você e sua equipe desenvolve, ao contrário de muitos em diversos setores que cobram caro por suas atividades e nem se quer divulgam para seu próprio público o destino destes recursos !

    Parabéns, estaremos divulgando seu texto em nossa fan page no Facebook (https://www.facebook.com/pages/No-Mundo-das-Umbandas/636473846498814) , convidamos também a conhecer nosso blog , onde temos um compromisso com a informação e o estudo, estamos lutando por parcerias que não sejam monetizadas, ao contrário, queremos cada vez mais ser um canal de informações, reflexões e estudos ! Em breve estaremos publicando um artigo sobre o Livro “Os Nephilins” que enviaremos o link para sua apreciação ….

    Agradecemos e esperamos novos artigos tão felizes como este !
    Oxalá conosco !

  • LIZETE REZENDE AIRÃO disse:

    TANTO TEMPO SE PASSOU APÓS KARDEC E NADA MUDOU…É LAMENTÁVEL QUE TANTOS “DESOCUPADOS” NADA FAZEM E SÓ CRITICAM NEGATIVAMENTE .REALMENTE,É IMPOSSÍVEL DESENVOLVER TANTOS BONS TRABALHOS SEM ENVOLVER GASTOS.APOIO,INTEGRALMENTE,TUDO O QUE FOI DITO POR VOCÊ E,AINDA MAIS,NÃO SE DEIXE ABALAR E,SE COBRAR É PRECISO,FAÇA-O E QUE SE DANEM OS “FOFOQUEIROS E DESOCUPADOS” DE PLANTÃO!!!!

  • Lourenço Netto disse:

    Dar a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus.

    O Cristo deixou claro, as coisas matérias tem elas seus tributos e as do Espirito tem seus valores.

    Existem ondas, nobre irmão;

  • marcelo disse:

    QUERIDO IRMAO ROBSON PINHEIRO,ADORO O SEU TRABALHO!!!!!
    QUE NOSSO PAI MAIOR CONTINUE TE ABENÇOANDO!!!!
    UM GRANDE ABRAÇO DO MARCELAO DE SANTOS!!!

  • Flavio Carlos Niewinski Villela disse:

    Ola, Robson, e a primeira vez que leio seu artigo,que achei,quando procurava,algo parecido com a sua opinião. Infelizmente Robson o movimento espirita hoje,praticamente encerrou a codificação de Kardec,. Hoje nos 98% dos centros espirita ´só se fala em Evangelho,dentro de algum pouco tempo irão se tornar “um tipo de igreja”,nada contra o Evangelho,mas e as outras 22 obras de Kardec,onde estão? Eu fui vitima desta,vamos dizer assim para ser mais educado,falta de informação por parte dos educadores.Tudo aquilo que eu achava estranho,quando procurava me informa com aqueles que deveriam nos orientar ,as resposta eram mais confusas.Bem parti para luta rumo ao conhecimento, só ,procurando ali e aqui,minhas dúvidas, que graças a alguns espiritas mais racionais, e são poucos,pude fazer o meu pensar sobre a Doutrina dos Espiritos. Olha Robson, quase abandonei a Doutrina, são tantas aberrações, que nada tem com os ensinamento de Kardec. Criam achismos, atalhos, e ai de você for questionar fatos que a Doutrina mostra que estão errados, pronto você está arriscado ate ser expulso da casa espirita,e o pior a panela entre as casas e muito grande,e um cartel,que se você sair de uma por alguma rusga,você e vigiado na outra casa espirita, absurdo.Com relação a Kardec ele era um magnetizador, tinha consultório de magnetismo,nunca vi nada de mal e o próprio,diz isto em uma de suas Revista Espirita.Tal como aconteceu na França e Europa acontece aqui.Você,respondeu a uma pergunta que sempre procurei entender .o por que ´só aqui,? Se na Európa conforme,livro Viagem espirita era um sucesso,pois li esta obra também.. Pouco tempo atras assisti um vídeo do Valdo Vieira ,grande médium amigo de Chico,e o responsável pelo Chico ser onde chegou, o mesmo comentário que estamos falando.Ele saiu da Doutrina dos Espiritos pela razão de não concordar com a total agregação da religião,deixando de lado a Ciência e a filosofia religiosa. E isto,um abraço.

  • Eulalia Koller disse:

    Querido Robson,
    nao se atenha demasiadamente em se explicar sobre o que vc faz com o dinheiro arrecadado da venda dos livros espiritas.
    Afinal de contas, voce como todos nosotros precisamos de dinheiro para sobreviver e alem do mais, os compram quem quer e tem interesse em saber mais sobre o espiritismo que, basicamente se conhece atraves de estudos, do contrario ficariamos apenas na base do achismo como muitos por esse mundo afora .
    E so se aprende sobre Espiritismo estudando mesmo. SE para estudar algo eu tenho que comprar o material ,porque que os Livros espeiritas tem que ser gratuaitos? Quem pagara as despesas das Ediçoes. Eu acredito que os Espiritos espiritas devem saber disso.
    O nosso Kardec sabia o que estava fazendo, ele estava bem assessorado. Hoje em dia aparecem um monte de bobagem que se tornam Best -Seller e um exemplar custa uma furtuna, porque que um <livro espirita nao pode ser vendido?
    ja li muitos livros, os quais me ensinaram muitas coisas e foram todos comprados ou emprestado de amigos.
    Fico fez por que eu posso comprar livros que me ajudam a compreender melhor a vida e me ajudama viver melhor.
    muito obrigada ao Pai Joao de Aruada por seus livros que verdaderos Tesouros e a voce Robson quem eh um canal maravilhoso
    abraços
    Eulalia Koller.

  • Parabéns pelas dicas, se tiver mais coloca aí pra gente, muito bom mesmo. PARABÉNS E SUCESSO!

  • Maria disse:

    É impossível de praticar o Social sem capital, seria ideal em transformamos em capitalista humanizados para fazer um bom social.

  • jose humberto disse:

    Li, compreendo e respeito seu ponto de vista. Estou seguindo uma trilha que me levará a manter uma casa espirita nos moldes que você descreve. Não sou médium, terapeuta, nada disso e o desafio vai ser esse: como manter uma casa espirita, com cursos, evangelização infantil, distribuição semanal de sopa, atendimento fraterno ao idoso. Sozinho não serei capaz. O que me move é ver a possibilidade de capitalizar doações legais de empresas, profissionais liberais e instituições. Se vai dar certo não sei, mas na pratica estou dando os primeiros passos. Se puderes, vou agradecer antecipadamente Vossa orientação de modo a assegurar-me quais as melhores trilhas a percorrer.
    Com fé e esperança.
    Sou grato.

  • Raul Thomaz disse:

    Prezado Robson Pinheiro, minha saudação!

    Sou interessado no tema Espiritismo, mais precisamente na história do Espiritismo no que diz respeito ao período de Allan Kardec quando encarnado na França.

    Lendo seu artigo “O dinheiro, o movimento espírita e o igregismo espírita”, me deparei com uma informação retirada desse texto e descrita abaixo:
    “E você sabe que Allan Kardec nunca teve nenhum constrangimento em cobrar para os médiuns participarem da sociedade parisiense de estudos Espíritas? Sim! Isso mesmo. Ele tinha despesas, inclusive com o aluguel do imóvel onde funcionava a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas e cobrava para os médiuns participarem das seções, dos estudos ali realizados. Não era de graça. Então dá para se ter uma ideia do porque o espiritismo não vingou naquela época. Os espíritas foram o maior empecilho para a divulgação das ideias espíritas.”

    Compreendo a necessidade do dinheiro para fazer frente as despesas naturais de uma instituição, como aluguel, impostos, etc…

    Mas a informação de que Allan Kardec “COBRAVA PARA MÉDIUNS PARTICIPAREM DAS SEÇÕES” me surpreendeu, já que nunca tinha tido contato com a mesma, e como tenho interesse em pesquisar por mim mesmo o assunto pergunto a você.

    Você poderia informar em qual fonte textual isso pode ser encontrado? Isso está em uma publicação oficial feita por Allan Kardec ou por um dos membros da Sociedade Espírita Parisiense? Ou ainda, em algum artigo publicado em jornais e revistas da época?

    Desde já agradeço sua atenção e meus votos de paz!

    • Robson disse:

      Olá Raul,

      Deixo aqui apenas uma referência direta, que é em Obras Póstumas, CAPÍTULO: CONSTITUIÇÃO DO ESPIRITISMO, item X -“Allan Kardec e a Nova Constituição”. Pág 451 até 460 (usei o PDF disponível no site da FEB e que você pode baixar gratuitamente para ler)

      Mas existem inúmeras outras citações na Revista Espírita, que deixo aqui a referência para sua pesquisa.

      Obrigado

  • Isto era tudo o que eu precisava ler! Estou no caminho certo! obrigada Robson, obrigada mentores. Graças a Deus. graças a Jesus.

  • Matheus disse:

    Resumindo: – aqui no Brasil todos dizem de peito estufado desejarem o sucesso alheio,….. desde que, é claro, esse sucesso não ultrapasse o deles!

    Se algo começa a brilhar no horizonte… pronto! Já começam aqui e acolá ouvirem-se maledicências… fofoquinhas com pequenos toques de maldade, aparentemente inocentes… uma risada aqui e um deboche ali… e quando se vê, quase como um telefone sem fio, já estão te crucificando!

    Tive um professor que chamava de “a síndrome do caranguejo no balde”. Todos os caranguejos capturados se encontravam presos e atados dentro de um balde. Quando um deles conseguia se soltar para escapar, todos embaixo logo começavam a puxá-lo de volta pra dentro do balde. As pessoas fazem isso, seja para desejarem pegar uma “carona” no brilho alheio, seja por inveja mesmo…. sabe-se lá as razões, mas que o fenômeno existe e é muito claro à todos, ah, isto é!

    Afora que no Brasil se tem uma visão sobre o dinheiro quase que pecaminosa. Aqui parece que ganhar um tostão por um trabalho feito é crime. Todos querem receber, mas sempre tentam morder o outro pra fazer de graça. Dinheiro ou um outro bem de valor dado voluntariamente em troca por um serviço ou produto de trabalho é uma JUSTA PRESTAÇÃO que faz com que àqueles que trocaram enriqueçam-se mutuamente, pois d’outra forma não a teriam feito.

    Tenho para mim que Nosso Sr. Jesus Cristo jamais foi contra alguém receber dinheiro fruto de um trabalho… o que me convenci após estudar e refletir sua mensagem é que É ONDE DEPOSITAMOS NOSSO CORAÇÃO que nos fará a diferença espiritual e moralmente falando. Não é ser contra ganhar dinheiro ou enriquecer justamente, mas sim onde depositamos nosso coração, se na riqueza material que a traça corrói e o ladrão rouba, ou nas coisas celestes, que nem a traça nem o ladrão podem atingir?

    Dai à César o que é de César e não deposite seu coração nas riquezas materiais, pois onde estiver seu tesouro, aí estará também seu coração!

    Por fim, Jesus afirmou ao jovem rico que largasse tudo o que tinha e o seguisse, mas não falou para as pessoas serem pobres. Naquele caso específico, para aquele jovem, que depositava seu coração ainda no acúmulo material, daí talvez N. Sr. Jesus Cristo ter feito o desafio, sabendo que para ele era o ponto nevrálgico, tanto que ele recusou.

    Agora, quando Jesus nos indicou “aquele que tiver duas, dê uma a quem não tem nenhuma”, ele está sendo muito claro: o seu fica garantido. Ele não nos mandou “dê tudo o que você tem”, mas sim dê o excesso. Mais outra sugestão para não colocarmos nosso coração no acúmulo de vis materiais. E tantas outras passagens, como a do rico e a do buraco de camelo, etc, etc.

    Acho que essas coisas todas são muito claras para aqueles que, de boa vontade, enxergam os esforços alheios como um bem e uma riqueza sendo canalizadas para o engrandecimento da humanidade, nem que seja palhinha por palhinha, gota a gota. E sabe reconhecer o valor desse esforço, seja porque faz um semelhante, seja por não fazer nenhum. Que admira, que quer que cresça, que contribui, nem que seja com pagamentos em dinheiro, com uma mensagem, com uma divulgação caseira boca-a-boca….. enfim!

    Pra finalizar, mais uma de Nosso Mestre e Salvado Jesus Cristo: “quem não ajunta, espalha”! Quanto à mim, acho até barato os valores perto do esforço de anos empregado para adquirir os conhecimentos e por todo o trabalho feito, bem como o crescimento que pode trazer a minha vida, este sim, sem preço. Fiquem com Deus! Abs! Matheus, Rio Grande/RS.

  • José André de Azevedo disse:

    Presado Robson Pinheiro, eu absolutamente, não fiz crítica, apenas comentei com o meu amigo que “achei estranho”. Quero deixar claro que com voce eu só tenho a aprender.

    • Robson disse:

      Olá José,

      Eu também não fiz nenhuma crítica, muito pelo contrário, ao deixar seu comentário em meu canal você me deu a oportunidade de deixar também a minha opinião a você!

      Obrigado

  • Iran Damasceno disse:

    Olá, Robson!

    Antes de tudo, se eu não gostasse do seu trabalho não teria lido alguns livros seus e muito menos viria aqui para expressar a minha opinião sobre seu texto. Então e diante de tanta maledicência religiosa, inclusive no meio espírita, posso opinar que a questão em si não é mais a fé, porém a consciência no que tange aos processos científicos e filosóficos, aos quais eu me aproximo, deixando de lado a falida religião. Quando eu cito seus livros (Legião e Tambores de Angola) como “romance de ficção’, dos quais eu gostei bastante, é devido a falta de embasamento científico de minha parte, entretanto você há de convir que é muito complicado para nós, diante dessa derrocada religiosa e poucos investimentos nos estudos científicos e filosóficos, como disse, crermos em tais afirmações, portanto e se enveredássemos pelos campos das investigações mais aprofundadas, fora dos conceitos religiosos, certamente que teríamos mais chances de aceitarmos as verdades das comunicações desta natureza. Mas, jamais descartei a possibilidade e até lhe digo que vejo uma “legião’ de seres tentando nos levar aos escombros da solidão dos conhecimentos e, como consequência, esses resultados nefastos que estamos colhendo. Siga firme e saiba distinguir o CÉTICO do MALEDICENTE, pois ambos não são o meu caso. Força e triunfo em seu trabalho, é o que desejo de coração.

  • Moises disse:

    Deveríamos aprender com o filósofo:

    “Aquilo que se faz por amor, parece ir sempre além dos limites do bem e do mal.” (Friedrich Nietzsche)

  • Ramon Barbosa disse:

    Concordo com cada sílaba desta postagem. Claro, direto e sem pieguice. Parabéns Robson, pelo lindo e excelente trabalho de altíssima qualidade que vem desempenhando…

    Para mexer mais no vespeiro…. Divaldo e Chico também cobram pelas suas obras… Com o dinheiro das vendas Divaldo construiu uma Cidade – a Mansão do Caminho.

    Os hipócritas só enxergam o que lhes convém.

  • Ariomara Scheer disse:

    Bom dia!
    Caro amigo Robson,
    Eu mesma admito que li algumas obras,
    Fiquei encantada com o conhecimento adquirido.
    Mas quando uma amiga me falou do saite, percebi que havia cobrança $$$, por alguns cursos, etc…
    E questionei a seriedade do teu trabalho! Calma, vou explicar: Assim como Eu devem existir outras pessoas, que por IGNORANTES e por desconhecer a trajetória do Kardecismo; questionem as cobranças.
    A maior chaga do nosso país e do mundo ainda é a ignorância, a falta de conhecimento, o papagaiar através da opinião alheia….
    Agradeço ao artigo”desabafo”, que por mínimas linhas tão nobre e esclarecedor; e pelo puxão de orelha “Conhece para poder opinar.”
    Siga na luta, muito sucesso! Abraços e muita luz a toda equipe.
    Ps: Algumas pessoas ainda não tem merecimentos para receber de graça, não valorizam independente da profissão em que buscam auxílio.

  • Gabriela disse:

    Fantástico.

  • Ney dos Anjos disse:

    Caro Róbson,

    gostei muito do que expôs…., vc foi direto em uma questão que eu tinha e de coração…, te digo, tinha duvidas. Com todos os seus exclarecimentos eu me senti muito aliviado. Tenho vários livros seus e quero adquirir outros, saber que este investimento é em prol de pessoas necessitadas e do esclarecimento das pessoas…., não tem preço!! Forte abraço do amigo….Ney

  • LÚCIO ROCHA BARBOSA disse:

    Robson boa tarde!!

    Meu amigo quanto tempo!!

    Gostei demais desse texto. E digo mas não dê ouvidos a esses hipócritas misturados no movimento espírita. Seu trabalho tem expandido cada vez mais graças a libertação dessas prisões mentais criadas no movimento espírita. Gosto demais de seus videos e aulas; além é claro do guardião veludo. Abraços em você e no Marcos.

  • Dina Gomes disse:

    Olá
    Você,através de Ignácio,fala dessas pessoas no seu último livro: O Partido.
    É a “turma do mal” usando o artifício da enganação,mentira e auê para impedir que o bem prospere.

  • Miguel Nelson Choueri Junior disse:

    Prezado Robson Pinheiro, obrigado por seus esclarecimentos, seu texto foi inspirado, sem rodeios, um soco na boca do estômago, parabéns!

  • Lucas Neves disse:

    Bom.

  • CRISTINA BECKER disse:

    Boa noite,

    muito gostaria de dizer, mas por ora só posso agradecer as bênçãos recebidas. Assino embaixo tudo que disseste e o que gostarias de ter falado como Kardec o fazia. Precisávamos desta sacudida. Obrigada.

  • Artur Lima disse:

    Boa tarde!

    “O bem é tímido, mas com grande desembaraço falamos mal do outro”

    Obrigado pela oportunidade da resposta.

  • Artur Lima disse:

    “A timidez dos bons ou dos que estão tomando a decisão de se fazerem melhores é incentivo à ousadia dos transitoriamente maus”

    Espírito Irmão José

  • Artur Lima disse:

    Prezado Robson Pinheiro,

    Boa tarde!

    Tenho lido muito dos livros psicografados por você. Me identifico muito com as informações dos espíritos Joseph Gleber e Ângelo Inácio. Parabéns pelo brilhante trabalho. Que o Cristo Cósmico nos auxiliem sempre.

    Saudações.

  • Luiz Antônio Puton disse:

    Que qualquer trabalho precisa de recursos, isso é verdade. Que se use recursos obtidos de obras mediúnicas ou palestras onde espíritos de alto nível ajudam para que a mensagem seja bem clara para cada platéia para sustentar centros ou locais onde mais gente trabalhe em assistências, concordo, deve ser feito. Não concordo é cobrar por trabalho que no fundo não pertence a quem o produziu, como obras me dínicas ou palestras assistidas por tais espíritos para o escritor ou palestrante se sustentar. Kardek deu a partida e o início do entendimento da espiritualidade, o final cabe a cada um de nós. Então se para isso se deve mudar de paradigma, se mude, mas que seja justo. Mesmo que trabalhe e se doe em obras assistenciais, devem fazer através da própria prossifão ou se souber e tiver recursos, através de investimentos.

  • André Nósseis disse:

    Muito bacana o texto. Parabéns pela exposição e e crua, chocante para um espírita mas sensato realista. Matéria é movido à matéria. Não tem como fugir. E a FEB , ? Contribui ? Seu texto me fez pensar realmente na missão de cada um. Acho tenho condições de contribuir mais do que já faço.. Espontaneamente.. Aí que está a pureza e a caridade.. Não espero nada em troca.. Só agradeço as bençãos que eu e minha família tem recebido.. Vamo que vamo divulgar a boa kova do Consolador prometido ! Que paz esteja com todos vocês…

  • Maria Jose Oliveira disse:

    So tenho a dizer:Obrigada Robson e todos que fazem parte nessa jornada.

  • Geovana Mara Teodosio disse:

    Se vc entra no meio de uma confusao e é a favor dela vc vira como s diz ” Da galera”! Agora esperimenta ir contra? Ou tenta fazer o seu trabalho apenas divulgando o que vc sabe e deve compartilhar ,é taxado de anormal, cruel ,metidaoo . E vc quer apenas ser util e nao passar pela existencia em vao e de braços cruzados. Robson teu trabalho é contagiante e engrandecedor, eu pessoalmente agradeço a chance de dia a dia me encontrar. Em meio aos livros q adquiro conforme minha disponibilidade permite constantemente lendo,ouvindo,escrevendo,avaliando,conhecendo o q passa no Brasil economicamente e no mundo atual. Feliz por poder finalmente juntar ideais em prol da humanidade, tbm iniciei os trabalhos pelo colegiado d guardioes, é isso. Tua mae disse q nao seria facil mas valeria mto a pena!!; moro em SC e com madre paulina aprendi q nao devemos desanimar nunca embora venham ventos contrarios!!! E comigo aprendi a transformar os dragoes do dia em lagartixas e assim passo qdo atendo meus pacientes d cancer onde trabalho como tecnica em floripa..A cada dia tenovam-se as esperanças. Vambora garoto pra constante e gratificante labuta,parabens pela iniciativa.

  • sALL pONTES disse:

    PORQUE FALAR DE kARDEC SE NINGUÉM PODE FAZER NADA DE GRAÇA, A MALEDICIÊNCIA IMPERA EM GENTE QUE QUER DESTRUIR AS BASES DO ESPIRITISMO, INVEJA, CIÚMES …TODOS PRECISAM DE AJUDA DE DINHEIRO PARA SE MANTEREM PARA MANTER UMA OBRA…O POVO É RUIM MESMO FALAM AQUILO QUE SÃO INCAPAZES DE FAZER…., AMO O ESPIRITISMO EMBORA MUITAS CORRENTES AO CONTRÁRIO TENTAM DESTRUIR ESSA MARAVILHOSA DOUTRINA DE CARIDADE E AMOR….. TINHA FALTADO EMAIL E NOME

  • OSWALDO OLLA disse:

    P A R A B É N S! Não ficou nada omisso! É isto!

  • Ana Maria de souza disse:

    Boa tarde Robson! Tenho conhecimento e sou muito observadora das questões que se tratam de dinheiro; em um post no facebook de um palestrante também muito querido, no qual foi colocado o valor miserável de 30,00, que é menos que pagar uma manicure, uma sugadora escreveu a famosa frase “dai de graça o que de graça recebeste”, cobrar 30,00? há tantas maneiras de divulgar a doutrina, sem cobrar? Toda exasperada, por ter este valor simbólico cobrado; não me aguentei e entrei na conversa: disse-lhe, cite uma maneira de viajar divulgando a doutrina, com tantos custos e não cobrar? Até agora ela não conseguiu a resposta!
    Há poucos instantes estava assistindo a palestra do Divaldo, ao final do encontro na Mansão do Caminho, vi um comentário destes escabrosos: o Divaldo usando um Dell Inspiration? Diante daquela magistral palestra, alguém se ater a detalhe desta natureza; por isto as coisas são mais complicadas também, o desdém e pontuações de certos seres que aparecem, não para engrandecer, mas para fazer alardes desnecessários!
    Estes que falam estas asneiras nunca tiveram coragem de doar um chiclete, tudo é caro, quando se trata de crescimento moral e espiritual, mas para a fanfarronice há dinheiro saindo pelo ralo! Conheço muita gente assim!
    Abraço fraterno!

  • Angela disse:

    Eu estava em uma situação ruim quando eu vim para os Estados Unidos para procurar emprego, eu tinha dois filhos para um pai que nunca se importou com a gente. Vendo o sofrimento foi demais para lidar com eu saí de sua casa com meus dois tipos e veio para os Estados Unidos para o pasto verde para ver se eu poderia conseguir um emprego. Passei o melhor tempo da minha vida limpando casas para pessoas e cuidando dos doentes apenas para poder alimentar e cuidar dos meus filhos. Um dia eu ouço meu empregador falando com um homem no telefone sobre o cartão em branco e decidi fazer perguntas sobre este cartão e me deparei com uma empresa chamada unlimitedhackersnetwork entrei em contato com eles e eles me disseram todos os requisitos para obter o cartão que eu fiz tudo isso correndo um grande risco para ver se terei uma vida melhor. Depois de alguns dias eu fui chamado por um homem que eu deveria vir para pegar um pacote em uma estação próxima, eu cheguei lá e realmente era um cartão. Desde então, tenho conseguido ter uma vida estável e sou realmente grata. Você também pode pedir ajuda hoje, dando-lhes uma chamada +15186358090 ou e-mail diretamente em unlimitedhackersnetwork@gmail.com

  • Adorei seu site. Conteudo de muita qualidade. Obrigado por compartilhar

  • Manuela Silva disse:

    Gostei muito do seu post, vou acompanhar o seu blog/site.
    Este tipo de conteúdo tem me ajudado muito no desenvolvimento pessoal.
    Obrigado
    Manuela Silva

Deixe uma resposta para Ney dos Anjos Cancelar a resposta