foi adicionado com sucesso ao seu carrinho.

MEU AMIGO TRANSFORMISTA

Publicado por 21 de setembro de 2016 Entrevistas 9 Comentários

Clique aqui para participar do projeto Gotas no Oceano

“Se dissermos que não temos pecado,
enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.”

1 João 1:8

Como lidar com as diferenças?

Como enfrentar as crenças que nos foram ensinadas e que, com o passar do tempo, incorporaram-se em nós como verdades?

Como enfrentar as limitações impostas pela educação religiosa?

Como as crenças que temos a respeito da vida moldam e direcionam a nossa existência e consequentemente influenciam nossa felicidade?

 

São crenças castradoras, impeditivas, que produzem consequências daninhas ou desastrosas. Estas são percebidas somente aos poucos e exigem tempo mais ou menos dilatado em terapias variadas, a fim de serem desarraigadas ou revisitadas e modificadas.

É preciso dizer que as crenças às quais me refiro, embora patrocinadas pela religiosidade medieval, não são aquelas que integram o catecismo religioso; refiro-me àquelas que impedem o ser de alcançar a felicidade. Acreditar que não se é merecedor ou que se precisa de méritos para ser feliz; considerar as coisas mais simples da vida como pecado, e considerar o pecado sempre como algo proibido, indesejável, que afasta o ser humano do Pai, o Criador. Crenças assim é que fomentam a baixa autoestima, o sentimento de culpa, a autopunição e outros tipos de comportamentos nocivos, que afastam cada vez mais a pessoa da felicidade.

Quero conversar contigo sobre isso, apresentar uma outra visão, um ponto de vista apenas, mas que talvez sirva para acrescentar algo a tuas reflexões e tua caminhada em busca de satisfação e realização.

PECADO

O pecado, conceito introduzido na cultura ocidental, herdado de milênios de aculturação religiosa, sempre foi apresentado como coisa nojenta, malvista ou indesejável e oposta ao projeto de santificação e evolução. Essa ideia, modificada aqui e ali com algum requinte, ou às vezes toscamente, foi patrocinadora de perseguições, injustiças, cobranças e atitudes castradoras e punitivas, constituindo-se em obstáculo para que o ser atingisse a plenitude, assumisse seu papel na vida ou mesmo conquistasse a vitória pessoal. Por trás dessa ideia e derivando dela, jaz o sentimento de culpa, enraizado no âmago do ser em decorrência das mais diversas situações.

O tempo mostrou que, sempre que se dava importância ao pecado e às faltas, as proibições e condenações assumiram um papel mais importante do que a felicidade em si, solapando qualquer possibilidade de realização pessoal e espiritual.

FELICIDADE

Quanto mais patrulhamento moral e comportamental, mais pessoas infelizes existiam, mais a fé era assassinada e, na mesma direção, mais aleijões espirituais e emocionais proliferavam, impedindo as pessoas de contribuírem para uma sociedade mais justa e trabalharem por um mundo melhor.

Um outro aspecto da cobrança relacionada ao pecado, é que ela evidencia uma carência ou necessidade, e até um desejo reprimido do julgador. Desse modo, pode-se compreender a inveja como provável sintoma de necessidades não satisfeitas, não atingidas, ligadas a ânsia de ter, prevalecendo sobre o desejo de ser.

A crítica que fazemos, em geral, evidencia em nós uma área na qual desejamos mudar, mas que a reconhecemos quando da sua manifestação através do outro.

SEXO

Homem e mulher são apenas aspectos exteriores necessários ao mundo da forma, e nem sempre a fisiologia representa o ser psicológico aprisionado nos limites do corpo. O sexo, patrimônio sagrado do espírito, é expressão da polaridade íntima e aguarda os séculos e milênios para ser compreendido. A sexualidade será, dessa forma, uma questão comportamental profundamente ligada às matrizes psicológicas construídas ao longo das vidas sucessivas.

Não há como padronizar o comportamento como expressão do ser imortal, uma vez que a variedade tão grande de criaturas e de experiências não nos permite uma visão acertada, ampla e profunda da situação íntima de cada um. Tampouco é possível estabelecer regras rígidas para comportamentos, ideias e pontos de vista, classificando-os entre o que é e o que não é normal ou aceitável. Não há como dizer que este tipo energético ou aquela identidade afetiva e sexual seja a mais correta ou a única forma de expressão do ser.

Em cada vivencia um aprendizado; em cada atitude, uma experiência. Bem e mal deixam de ter a conotação moralista e legalista para ceder lugar ao comportamento ético dos seres que se emancipam mais e mais na escola da vida. Muitas vezes, indivíduos veem-se reféns de medos, angustias e pesares; outros, em plena fase de aprimoramento íntimo, libertam-se de tabus e preconceitos, ampliam conceitos e, assim, elaboram o clima mental e emocional em que viverão de acordo com a maneira como transitaram na última existência física.

APRENDIZADO

As prisões invisíveis – porém, reais – que cerceiam a pretendida liberdade são apenas a projeção do lado obscuro, que emerge do inconsciente profundo. Tal projeção determina o limite de ação de cada um. Eis por que o ambiente espiritual, físico ou social é o reflexo vivo do mundo íntimo.

Pense, reflita, analise e escreva as coisas que mais te incomodam no outro e procure pela fonte dentro de você!

Seja feliz.

gotas-blog

9 Comentários

  • Sonia Valeria de Almeida Moraes disse:

    Exatamente assim fui educada! E certamante não sou a única pessoa a reconhecer as cicatrizes adquiridas por este tipo de instrumento de adestramento: o medo!!!!! Desta forma, mesmo tendo conseguido descortinar esse pano de fundo com a maturidade , sou grata em poder não condenar, e sim recompensar com respeito e amor!!!

  • Gelson Ramon disse:

    Lindo depoimento do Carlinhos Parabéns a ele e a esse trabalho maravilhoso que o Robson coordena. Eu faço parte dos guardiões da humanidade e já fiz minha singela doação. Agradeço pela oportunidade que está sendo a mim dada, estou a passos lentos mas sempre rm frente, muitíssimo obrigado por pofer participar desse maravilhoso trabalho.

  • Ana Karina disse:

    O coração acelerou, os braços arrepiaram e o espírito sorriu com o depoimento e coragem do Carlinhos, com a iniciativa de Robson Pinheiro (e toda a sua equipe em “Terra”) ao nos disponibilizar este vídeo! Saibamos legitimar, desprovidos do fel de preconceitos e sombras, as experiências encarnatórias de tantos irmãos, de nós mesmos, abraçando todos os corações. Viva a arte da Vida, atuante e transformadora!!!

  • Arnaldo disse:

    Eu chorei muito vendo esse vídeo… me fez lembrar o quanto foi difícil me aceitar como sou e perceber que quem estava errado eram as outras pessoas que me recriminavam. Hoje me sinto mais fortalecido e fiquei surpreso em descobrir que existem locais que não se preocupam com minha orientação sexual, e ao contrário do preconceito que sofri em vários locais, me enxergam como um ser humano antes de mais nada. Sem conhecer essa Casa de Everilda e mesmo distante me senti acolhido e passarei a crer mais no ser humano de bem. Parabéns! O mundo precisa de mais coisas assim. Quero contribuir para esse projeto pois muitos outros precisam da ajuda de vocês. O que vocês fazer é o que o Cristo ensinou… amar ao próximo como a ti mesmo. Obrigado por existirem.

  • Rosaria de Andrade disse:

    Maravilhoso .Sem palavras.Que Deus e os mentores continue á te iluminar.Bjssss.

  • Agradeço de coração,por te encontrado Robson e equipe,parabéns! CARLINHOS;AME A TI MESMO,SOMOS TODOS IGUAL PARA ESPIRITUALIDADE MAIOR.TODOS NOS TEMOS SOMENTE AMAR E ACEITAR O PROXIMO COMO É. SO LIVRE DE PRECONCEITOS DE QUALQUER maneira e qualidade,PODEREMOS CHEGAR AO AMOR INCONDICIONAL.”Amar o próximo como a ti mesmo” Um grande abraço a todos do grande projeto.amo voces!!!

  • Ana Claudia Castro disse:

    Carlinhos Brasil

    Que bom que voce encontrou a familia que sua alma escolheu e na qual, foi acolhida. Feliz por voce! Saiba tambem que este seu sobrenome e’ Luz, Forca, Espiritualidade, capacidade de se re-erguer e renascer a cada desafio, solidariedade, amizade, amor e aconchego!

    Um infinito abraco nesta alma Brasileirissima!

  • Luiz Perez disse:

    Nossa esse Carlinhos tem uma linda voz , parabéns , Deus abençoe .

  • OI! estou aqui vendo e sentindo a grande vibração de força e luz,somos viajantes das estrelas,nascemos e renascemos hoje maria amanhã joão em outras poucas palavras espírito não tem sexo,eu adorei o video achei lindo muito lindo ,as vezes ou sempre a gente encontra em nossas vidas seres que querem nos impor valores diciplinas habitos e gostos,fica até meio que enjoativo,basta se olhar em volta e veremos que quase o todo humano parece não enxergar as lições dadas por DEUS PAI a nos outros,que seria do verde se não foce o amarelo,que seria do mundo se o céu foce de uma só tonalidade,que seria dos passáros,das arvores,da vida de um modo geral,eu costumo dizer que feliz é aquele que tem olhos e enxerga tem ouvidos e ouve,poís em sua maioria os ditos seres humanos não usam bem destes orgãos de tanta valia,eu sou doente e ném por isso me sinto diferente,doente fisicamente e não na mente,e sou feliz com meu aprendizado que está sendo de grande valia,segundo consta um velho ditado que diz :-Enquanto a caravana passa,Os cães ladrão ,e acho que a humanidade tem muito ainda oque aprender. Achei lindissímo a música lindissima e voce é uma artista linda e passa sua sensibilidade toda para nos que enxergamos um pouquinho além da materia. Parabéns ,e que em seu caminho seja colocado as grandes benção de JESUS,bye bye

Deixe uma resposta para Luiz Perez Cancelar a resposta