Pinturas mediÚnicas







Pintura Mediúnica


“O artista verdadeiro é sempre o ‘médium’ das belezas eternas, e o seu trabalho, em todos os tempos, foi tanger as cordas vibráteis do sentimento humano, alçando-o da Terra para o infinito e abrindo, em todos os caminhos, a ânsia dos corações para Deus, nas suas manifestações supremas de beleza, sabedoria, paz e amor.”
Emmanuel

A pintura mediúnica não é uma novidade dentro da proposta imortalista, espírita. Allan Kardec, codificador da Doutrina Espírita, em “ O Livro dos Médiuns” define os médiuns que trabalham com a temática artística como médiuns que desenham ou pintam sob influência dos espíritos, acentuando em suas observações a necessidade de estabelecer a seriedade em tais produções mediúnicas.

A mediunidade em si passou por um processo de evolução à medida que os fatores psíquicos, emocionais, sociais e históricos do ser humano também evoluíram, o que torna esta como outras faculdades mediúnicas, passível de mudanças dentro da realidade evolutiva de cada médium.

Muitos artistas que hoje se manifestam em diversos médiuns em todo o mundo não são espíritos superiores segundo a definição que Allan Kardec dá ao termo em seus livros codificados. São espíritos que trazem, muitas vezes, questões complicadas a serem resolvidas, e o contato com médiuns mais sérios produz nesses espíritos um efeito de sensibilização do psiquismo, o que contribui para a sua redescoberta de valores morais e espirituais.

No século XIX, quando a doutrina espírita avançava sob a tutela do Espírito Verdade, surgiram muitos e variados médiuns com faculdades extraordinárias que serviram de instrumento para os imortais demonstrarem sua arte, beleza, ensinamento e poesia.
Abordando explicitamente o fenômeno mediúnico na esfera artística, especializando-se pela ação dos imortais no campo do desenho e da pintura, as produções de Augustin Lesage, Elisabeth d'Esperance, Victorien Sardou ficaram conhecidos devido à ação explícita dos espíritos que produziam trabalhos interessantíssimos e de extrema qualidade mediúnica através deles. D'Esperance, médium de efeitos físicos, de faculdades que serviram de base para estudos de Alexandre Aksakof, era médium de faculdades especiais e através das quais os espíritos, em completa obscuridade, produziam quadros de beleza extraordinária.

No Brasil, vários médiuns surgiram ao longo dos anos que marcaram o século XX, os quais trabalharam sob a influência direta ou indireta de artistas desencarnados. Carmine Mirabelli, Dinorah de Simas Enéas e, mais recentemente, Luís Antônio Gasparetto, que levou a mediunidade de pintura a diversos recantos do globo, embora, atualmente, preferiu seguir suas próprias diretrizes no que concerne ao envolvimento e comprometimento com a Doutrina Espírita, não invalidando a beleza das produções mediúnicas sérias e elegantes associadas ao compromisso doutrinário e espiritual.

Embora Robson Pinheiro não seja conhecido como médium de pintura mediúnica — algo que ele faz questão de enfatizar —, algumas produções desse caráter têm sido externadas através de sua mediunidade. O trabalho realizado pelo médium nas obras de pintura mediúnica são orientados por Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho e assessorado pelo espírito Ataíde, o qual assume a psicofonia através do médium durante o transe na hora dos desenhos. Eis acima algumas obras realizadas pelo médium Robson Pinheiro os quais são doadas e vendidas em benefício das obras sociais da Universidade do Espírito de Minas Gerais.